27/11/2011

MEUS FANTASMAS, MEUS SUSTOS, SONHOS...

Fantasia

Por muito tempo procurei o DVD de um filme produzido por Walt Disney na década de 40, “Fantasia”. (*)

Tenho ainda na minha imaginação alguns sons e imagens que ficaram e ficarão para...sempre (!)
Criança com meu pai – que era apreciador da música clássica – fui a algum cinema em São Paulo e me deslumbrei com Mickey o aprendiz de feiticeiro (ao som da música de mesmo nome de autoria de Paul Dukas) que aprontara uma confusão mais ou menos com uma vassoura que enfeitiçara para ajudá-lo a carregar baldes e baldes de água e não sabia como reverter a mágica quando o descontrole deu em inundação.
Muitas são as músicas clássicas aproveitadas no desenho magnífico, interpretadas pela Orquestra Sinfônica da Filadélfia sob a regência do consagrado maestro Leopold Stokowski.
Nada me empolgara muito, na verdade. Naqueles idos havia passagens sonolentas. Fixara-me nos desenhos e nas figuras de certo modo como fazia com os desenhos do bisavô pica-pau (woody woodpecker)
Uma música de destaque em “Fantasia” é a “Pastoral” de Beethoven que ouvira muitas vezes em minha casa, tocada naqueles vitrolões nem sei se hoje relíquias de museu, com aqueles discos ainda precários, mas audíveis. “Pastoral” é remetida para animar figuras mitológicas, pegasus, faunos, centauros desenhados com esmero e graça.
Pois bem, um canal a cabo outro dia programou o filme Fantasia.
Todas aquelas lembranças verdadeiras, a ida com meu pai ao cinema que, se bem me lembro, com ele assisti também Shane.
FANTASIA evoca para mim o que de melhor, num tempo de menos malícia.

O video apresenta cena inspirada na música "Sagração da primavera" de Igor Stravinsky
(*) O filme Fantasia teria sido restaurado e relançado em DVD em 2011

Meus fantasmas


Ao longo da minha vida, desde a adolescência me deparo com meus fantasmas.
Já muitas vezes relatei alguns eventos que se deram comigo, terrores, acordado e sonhando.
Naquelas noites, já tarde, vez por outra flagro vultos me encarando.
Não fazem mal e nem me induzem ao mal pensar. Nem se apresentam tão nitidamente a ponto de me assustar se me deparo com essa (estranha) realidade.
Já tarde da noite, fecho uma porta no escuro e ao me virar lá está outro vulto. Me arrepio, mas vou em frente.
Num desses silêncios com a mente perdida no seu universo alguém que não vi me fala aos ouvidos:
- Ih, esse vai ser meu avô.
Tenho filha e filhos que serão mãe e pais daqui a alguns meses.

Susto

Naqueles idos bem vividos, num bairro periférico de São Caetano do Sul, havia um campo de futebol que, quando chovia – e chovia muito atraindo a saparia que coaxava por noites e noites, até que o brejo secasse.
As ruas não eram calçadas e as noites eram escuras.
Ali times varzeanos cumpriam jogos emocionantes naquele e outros campos.
Quando encharcado, a molecada usava metade daquele campo para as peladas empolgantes.
Já disse que nunca comecei uma briga.
Numa dessas partidas havia um adversário que me encarava um pouco além do jogo. Era o P...
Ele estava ansioso em trocar uns sopapos comigo. Tanto fez naquela manhã, que conseguiu. Formou-se a roda e até com facilidade eu o dominei e não me propus a dar-lhe surra memorável. Ele entendeu e passou a me evitar.
Alguns anos depois, andando preguiçoso numa manhã por uma das principais ruas da cidade, em direção contrária vinha um sujeito alto, mulato, cabelos crespos, modestamente vestido cujo rosto não me era estranho.
A poucos metros até ele um carro da polícia parou exatamente ao meu lado, desceram apressados policiais com armas em punho ameaçadores vieram ao que parecia em minha direção.
Entrei em pânico, sem saber o que acontecia e o que esperar.
A bronca era com o P...

Foi dominado, algemado e posto encolhido no camburão. Os policiais indiferentes ao meu susto, voltaram para a viatura apressados. E partiram.
Nunca mais o vi. O P...

Loira de blusa verde


Jovem loira bonita, simpática e pelo que ouvi conversava um “papo cabeça”. Blusa verde bem decotada seios pequenos que não destoavam de sua beleza. Se loira inteligente não se valerá do artifício do silicone.

NOTAS GRAVES

Baleias e golfinhos mortos em ritual degradante

Moradores das Ilhas Faroe participam de caçada a baleias "piloto" durante o tradicional ritual Grindadrap de "caça a baleias", nas proximidades da capital Torshavn. Os habitantes da ilha, uma província autônoma da Dinamarca, matam e comem baleias "piloto" todos os anos. Também golfinhos são barbaramente trucidados.
No ritual satânico anual que ocorre na Ilha, centenas de baleias “piloto” são massacradas, tingindo a praia do vermelho do sangue dos animais. E todos aqueles insanos comemoram a matança, não poupando nem mesmo as crianças. Provavelmente elas deverão no futuro continuar o ritual satânico enquanto não houver um basta da Dinamarca omissa – considerada altamente civilizada. E mesmo a intervenção de outros países ainda que menos civilizados mas com alguma consciência pelo horror da barbárie infernal praticada nas Ilhas.
E há ainda quem pergunte, nas tragédias que vitimam a humanidade, “onde estava Deus”? Os elementos da natureza cobram um preço pelo que de sórdido aqui se pratica.
As Ilhas Faroé são um arquipélago dinamarquês (território Autônomo) do Oceano Atlântico com 1400 km2. A capital é Torshavn na Ilha Strm. Situado entre a Islândia e Escócia é constituído por 18 ilhas e ilhotas de origem vulcânica.

Esperanças e ternuras


Filhote de veado assustado é capturado e recebe carinho

Em Piracicaba, no Horto de Tupi (bairro da cidade) foi capturado um filhotinho de veado por um morador, preocupado que ele corresse nos rumos da rodovia. Diz a notícia que o animal “estava assustado e chorava bastante.”
Por conta da quebra de seu habitat, esses animais aparecem frequentemente por ali.
O bichinho levado ao Zoológico, devidamente examinado, não apresentava ferimentos e estava bem de saúde: “no local recebeu carinho do veterinário e biólogos. Tão logo terminasse o exame, receberia alimentação própria para a espécie e que é misturada ao leite”.

Usina de Belo Monte - Repúdio (Atores globais)


Fotos / Legendas

(1) Capa do DVD das músicas de "Fantasia"
(2) Mickey e a dança das vassouras enfeitiçadas
(3) Rua Manoel Coelho - São CAetano do Sul. Bem a direita se deu o evento relatado
(4) Matança das baleias nas Ilhas Faroé (Foto: Andrja Ilio / Reuters via UOL)
(5) Gazeta de Piracicaba de 26.11.2011 – Foto de Christiano Diehl Neto (na foto PM Ambiental Albuquerque com o bichinho salvo)

2 comentários:

Ivana Maria França de Negri disse...

Bom dia Milton

Todos nós temos fantasmas, fantasias, sustos e sonhos.
Gostei da mistura de tudo isso que deu um bom caldo!

abraços

Camilo Irineu Quartarollo disse...

Quanta qualidade! Milton.Parabéns.